Buscar
  • Camila Santiago

Chile... E a neve!


Aprender a viajar: Foi isso que 2016 me ensinou.

Aprender a viajar sem precisar de quantias exorbitantes de dinheiro.

Viajar sem ficar preso a algum tipo de roteiro padrão.

Viajar sem mudar totalmente a rotina das crianças.

Para nossa segunda jornada fora do Brasil (e junto com as crianças) escolhemos a neve!

A neve que não se mostrou fofinha e soltinha, e que em um primeiro momento resultou em um "quê" de frustração.

Ao chegarmos em La Parva, ansiosos para ver a reação do Benício, nos deparamos com uma reação de: "é isso? só isso?" - obviamente, após alguns minutos e após colocar a roupa adequada a neve virou a melhor amiga das crianças. Para gente foi maravilhoso viver esses momentos junto com eles.

Então vamos lá, dicas, dicas, dicas:

- 1º FICAR OU NÃO NA MONTANHA (AO INVÉS DO BATE E VOLTA USUAL) - Sim! Ficar na montanha... Sem dúvidas... Escolhemos La Parva, pois temos o perfil de fugir dos locais onde o número de visitantes é maior (especialmente com crianças, multidões tendem a se transformar em momentos extremamente caóticos).

Inicialmente optamos por ficar em Farellones em função das atividades para as crianças, porém após reserva da estadia recebemos o cancelamento via Airbnb por uma restrição do anfitrião da residência que escolhemos e dessa forma tivemos que optar por outro local. Abrimos o leque de opções e escolhemos uma casa exatamente em frente a estação de ski La Parva. Se acertamos em algo nessa viagem, foi nessa escolha.

A localização era incrível, com uma vista linda, acesso fácil ao mini market. Logo na frente tinha uma parada do transporte regular e gratuito que circula dentro de La Parva (uma mão na roda para voltar do mercado, por exemplo), ou seja, não poderíamos encontrar melhor lugar.

- 2º SEGURO VIAGEM - Nunca viaje sem um seguro. Sério. A gente acha que as coisas não acontecem com a gente, mas ó, acontecem sim.

No segundo dia em La Parva, meu marido levou um baita tombo brincando com as crianças na neve. Acabou deslocando o ombro e precisamos utilizar a assistência durante a viagem. Na realidade a clínica do vilarejo não recebe pagamentos via seguro, porém conseguimos solicitar reembolso integral dos gastos que tivemos (e não foram poucos).

- 3º O FRIO - Segundo o histórico de temperatura, chegamos a pegar bons negativos por lá, e juro, não sentimos frio (daquele frio que incomoda) em momento algum.

Para o frio, o segredo é roupa adequada.

Para o frio, o segredo é estrutura adequada.

Dentro de casa tínhamos aquecimento central, então o espaço era quentinho o tempo todo. Acredite se quiser, eu dormia de regata.

Fora de casa, as três camadas indiciadas (segunda pele, aquecimento e camada impermeável) seguram o tranco. Tranquilamente.

As crianças (e os adultos) lidam muito bem com o frio, porém as roupas incomodam bastante ao vestir, como dica: roupas mais leves, menos volumosas em tecidos mais inteligentes.

- 4º ROUPAS - Se o seu roteiro contempla somente um dia na montanha, o mais adequado financeiramente falando é optar pela locação de roupas em Santiago, ou no início da subida para a montanha (onde existem diversas lojas especializadas), porém se a viagem considera mais de um dia de neve, comprar os itens apresenta um custo benefício bem melhor. A gente optou por comprar boa parte dos itens de segunda mão. Roupa de neve é praticamente nova, mesmo após uso.

Para comparativo, compramos uma calça de neve para o Benício, novinha, por R$ 50,00 - uma nova seria pelo menos 3 vezes esse valor - dependendo da marca.

Outra dica: Encontrar segunda pele para criança é beeeeeeem difícil, para bebê então é impossível. A gente pesquisou e encontrou um ateliê de costura que trabalha com confecção desse tipo de item, utilizando tecidos beeeeeeem inteligentes que realmente cumprem o proposto.

Existem várias lojas especializadas aqui no Brasil onde é possível encontrar roupas inteligentes, como a Mundo Terra que fica em Moema ou a Decathlon que oferece excelentes opções com um bom custo benefício.

Se vale investir em algo é em bota, meia térmica e luva impermeável.

A minha luva não era lá essas coisas (comprei nova na Decathlon) e após 3 horas na neve minha mão estava com pequenas partes bem machucadas (parecendo queimadura mesmo - na verdade é queimadura né?).

- 5º AIRBNB - Fica aqui minha admiração para esse aplicativo mais uma vez... A experiência de ficar em uma casa local é unica. MESMO!

- 6º ANDES - Sem dúvida a paisagem mais linda que já vi na vida!

Sobre Santiago, volto depois para contar mais.


107 visualizações

Siga nossa turma:

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Instagram Icon

Criançando

Criançando

Família Torres

Família Prazeres

Benício
Sophia
Aurora
Benício
Sophia
Aurora
Benício
Sophia
Aurora